domingo, 22 de março de 2009

Resumo do livro ensinando para transformar vidas

INTRODUÇÃO

 

O autor introduz o livro contando sua experiência na área da docência cristã na cidade de Dallas. Apresenta sua idéia de ensino e as sete leis que os rege. Segundo Howard Hendricks, nossa tarefa não é causar uma boa impressão naqueles a quem ensinamos, mas provocar neles um impacto. Não é apenas convencê-los, mas levá-los a uma transformação de vida. 

 

Segundo ele, O que é que os mais eficientes comunicadores do evangelho têm em comum? Quase que invariavelmente aplicam com maestria este princípios: 

A Lei do Professor - Basear o ensino numa rica experiência de vida.

A Lei do Ensino- Dominar a matéria e conhecer muito bem as pessoas a quem se ensina. 

A Lei da Atividade - Envolver os alunos numa experiência altamente educativa. "Ouço, esqueço; vejo, e guardo na memória; faço e compreendo." 

A Lei da Comunicação - Construir pontes de ligação entre o comunicador e o receptor. 
A Lei do Coração - Atingir a personalidade como um todo - intelecto, sentimento e vontade. 
A Lei da Motivação - Descobrir e cultivar as motivações humanas intrínsecas. 
A Lei da Preparação Prévia - Preparar o professor para ensinar e o aluno para aprender. 

 

 

Capítulo 1

 

A LEI DO PROFESSOR.

 

“O professor deve conhecer muito bem o assunto que está ensinando. Um fraco domínio do conteúdo resulta num ensino deficiente.”

John Milton Gregory

 

A Lei do Professor: Basear o ensino numa rica experiência de vida. 

 

O bom professor é aquele que baseia seu ensino em uma rica experiência de vida. Por isso O professor precisa conhecer o que vai ensinar. Ninguém comunica o que não tem. Por isso antes de ser professor, ele deve ser sempre um aprendiz. É um estudante ensinando a estudantes Quem pára de "crescer" hoje, pára de ensinar amanhã.

 

O educador cristão ensina as coisas do alto, por isso se ele que ensinar a outros deve antes pedir que Deus o ensine. Assim se alguém deseja melhorar sua pratica pedagógica deve esforçar-se para melhorar sua própria pessoa.

 

A demanda de professores.

 

A maneira como a educação cristã é tratada em muitas igrejas é vergonhosa. Em muitos casos o ensino está nas mãos de pessoas despreparadas. Esse contraste é visível em relação a educação secular. Na ultima exige-se o mínino de três anos de preparo para a pessoa ensinar as crianças que dois mais dois são quatro. Mas quando se trata dos ensinos eternos qualquer pessoa serve.

 

Se quisermos recrutar professores para a EDB temos que evitar três práticas adotadas hoje: Primeiro não fazer avisos apelativos; não insistir com ninguém; e por fim Não fazer indicações de ultima hora.

 

Efetuando mudanças.

 

Para ter um ensino eficiente a pessoa tem que ter a vida transformada. Se quisermos promover transformação em outros temos que experimentá-las primeiro em nós. Há pessoas que com a desculpa de que estão velhos, se fecham em seus mundos e nem são transformadas, e nem transformam. Mas, segundo o autor os mais velhos podem aprender e ensinar muitas coisas. Aqui o autor traz uma serie de ilustrações de pessoas não se deixaram vencer pela idade, e concluir que o passado existe para aprendermos com ele e não para vivermos nele. (p. 22, 23)

 

Crescimento uma vida mais ampla.

 

A Bíblia diz que Jesus cresceu em quatro áreas (Lucas 2. 52). Ele cresceu em “sabedoria: desenvolvimento intelectual; em “estatura: desenvolvimento físico; “em graça” diante de Deus: desenvolvimento espiritual; “diante dos homens”: desenvolvimento social e emocional.

 

Podemos observar que o crescimento espiritual é apenas parte de um processo amplo. Assim só obteremos um bom desenvolvimento espiritual se o associarmos ao crescimento intelectual, físico, social e emocional. Se negligenciarmos uma dessas áreas podemos colocar em risco as demais. E quando avançamos em alguma beneficiamos a outra.

 

O aspecto intelectual.

 

O autor propõe três sugestões para o desenvolvimento intelectual.

 

1. Mantenha um disciplinado programa de leitura e estudo. Todas as pessoas que tem cargos de liderança são pessoas que lêem muito. Porém, não basta apenas lê é necessário meditar no que se leu. Quem não medita no que leu não sabe lê corretamente. Além disso, é necessário lê as pessoas. As pessoas com que convivemos têm muito a nos ensinar. Devemos aproveitar as oportunidades de aprendermos com elas, por isso fale menos e ouça mais.

 

2. Faça curso de atualizações, não apenas para melhorar nosso conhecimento, mas nossa habilidade intelectual. Todavia lembre-se que o curso mais importante que você deve fazer é o estudo da bíblia. Esse é o curso que mais cria impacto e transformação na vida de uma pessoa.

 

3. Conheça bem seus alunos. O professor precisar está bem inteirado das características gerais da facha etárias dos seus alunos e dos seus problemas pessoais. O autor elucida essa idéia, contando uma história, de um professor que tinha o uma ficha com o nome de todos seus alunos e as principais características e problemas.

 

 

O aspecto físico.

 

Para o autor o aspecto físico é o que mais os crentes ignoram, e o faz por renegar o lado humano. Todavia essa deve ser uma preocupação nossa. O professor deve se preocupar com a vida financeira e pensar como tem gastado o seu dinheiro e se exerce controle sobre ele. Quanto ao emprego do tempo se o faz de maneira saudável e correta. Quanto à vida sexual se não está negligenciando a relacionamento conjugal. No que diz respeito à vida mental se a usa apenas para armazenar as verdades de Deus. Em relação à vida alimentar se dá real valor a ela. E por fim quanto a exercício físico se o pratico regularmente. Essas preocupações devem está presente em nossa lista de prioridades.

 

O aspecto social.

 

Os estudos feitos a respeito da evangelização de amigos têm mostrado que as pessoas que se convertem mantêm seus antigos amigos só por um período de dois anos. Assim mostra que a vida social do cristão é restrita. Por isso o cristão e professor precisarem desenvolver e manter um bom relacionamento entre as pessoas não crentes. Ele deve procura fazer isso com pessoas de varias faixas etárias dos diversos grupos sociais. E deve não apenas ser o amigo mais o melhor amigo.

 

Como estou me saído?

 

A maior ameaça ao desempenho de um bom professor é estar satisfeito com seu trabalho. É não se perguntar sempre: “Como posso melhorar meu ensino”? A maior ameaça ao nosso ministério é o meu ministério. Por isso não podemos deixar que o ativismo tome conta de nossa vida e nos faça maus professores.  Devemos fazer uma constante avaliação. E nos indagar quais são os pontos fortes e fracos e o que precisa melhorar? Lembrando que as mudanças da vida começam com as mudanças dos hábitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
©2007 Elke di Barros. Adaptado por Jailson Santos. Por Templates e Acessorios